21/02/2024

MUSEUS DE SERRA TALHADA

MUSEUS DE SERRA TALHADA
CASA DA CULTURA – A Fundação Casa da Cultura de Serra Talhada, que é responsável pelo MUSEU DA CIDADE / CASA DA CULTURA foi inaugurada em julho de 1987, sendo o idealizador e primeiro presidente o multiartista PAULO PROFETA, que veio da cidade de Palmares, trabalhando no Banco do Brasil, mas que sempre foi um cangaceiro da cultura.
O MUSEU DA CIDADE guarda um rico acervo que conta a história da colonização da região, origem da vila e cidade, os primeiros prefeitos e as primeiras famílias que fincaram raízes nas ribeiras. Seus personagens históricos têm espaços de destaque: Padre Jesus Garcia, que foi sacerdote na cidade por mais de cinco décadas, o lendário músico Moacir  Santos, o humorista Arnaud Rodrigues, o genial Solidônio Leite, acervo o inventor Evangelista Inácio, as misses serra-talhadense que ganharam títulos estadual nós redendo o título de Terra Campeã da Beleza Feminina, destaque para a Filarmônica Vilabelense e sua trajetória centenária, os grupos de teatro e danças, os artesãos e artistas plásticos que sempre enalteceram a cena cultural da Capital do Xaxado. E por falar em Xaxado, o visitante conhece vários aspectos da vida de Virgolino Ferreira da Silva, o Lampião.
O MUSEU DA CIDADE / CASA DA CULTURA é aberto de segunda a sexta feira, das 8 às 12 e das 14 às 17 horas.
MUSEU DO CANGAÇO –     No dia 05 de maio de 2009 foi inaugurada a instalação do MUSEU DO CANGAÇO/PONTO DE CULTURA CABRAS DE LAMPIÃO/CEPEC – Centro de Estudos e Pesquisa  do Cangaço – em um dos prédios da Rede Ferroviária.
Tem no seu acervo:
Móveis e utensílios da época do cangaço;
Processos jurídicos contra Lampião e outros cangaceiros;
Bilhetes escritos pelo próprio punho de Lampião;
Armas pertencentes a cangaceiros;
Acervo de matérias de jornais da época do cangaço noticiando as ações de Lampião;
Coleção de  matérias jornalísticas mostrando a repercussão da morte de Lampião;
Medicina do Cangaço : Demonstrativo de ervas medicinais da vegetação da caatinga;
Vasta biblioteca do cangaço, com mais de mil e quinhentos livros;
Teses de mestrados e monografias focando o cangaço e Lampião feita por estudiosos de todo Brasil e do exterior;
Mais de quinhentos títulos de versos de cordéis;
Laudos médicos e raios-X das cabeças dos cangaceiros quando decepadas pela polícia;
Acervo de aproximadamente 800 fotografias do cangaço;
Documentários em DVDs (sobre Lampião, Zumbi dos Palmares, Antônio Conselheiros e Padre Cícero);
CINE CLUBE LAMPIÃO: Com capacidade para setenta pessoas, com data show e equipamento de som, onde acontece as  exibições de filmes e documentários;
PALCO EXTERNO– ESPAÇO ANILDOMÁ WILLANS: Para ensaios e apresentações teatrais e danças, recitais e cantorias de violeiros repentistas;
Uma sala de estudo; e
Uma loja de artesanatos.
O MUSEU DO CANGAÇO é o maior do gênero do Brasil.
A Fundação Cultural Cabras de Lampião é de personalidade jurídica, sem fins lucrativos e de finalidade cultural. Filiada a SBEC – Sociedade Brasileira de Estudiosos do Cangaço, a ARTEPE – Associação dos Realizadores de Teatro, de Utilidade Pública Municipal (pela Lei nº942/98) e de Utilidade Pública Estadual (pela Lei 12.402/2003).
O MUSEU DO CANGAÇO é aberto de segunda a sexta feira, das 8 às 12 e das 14 às 17 horas. Aos sábados de 8 às 12. E aos domingos e feriados, agenda pelo telefone 87. 3831 3860.